Porque Existem Dias Que Marcam um Início...

No momento em que mais estava a precisar de conhecer gente nova, dar um refresh nas minhas amizades, surgiu a oportunidade mais-do-que-perfeitinha. Digo isto porque a minha estadia em Coimbra não poderia ter um saldo mais positivo! O ambiente académico é verdadeiramente alucinante, o pessoal tem uma abordagem simpática e a borga esteve presente em cada poro da minha pele, com um suor perdido albures na destilação dos caipirões e outras tantas outras bebidas que perdi a conta. 

Chegavamos a casa o dia já estava bem acordado e a cidade nunca dormia. Qual Nova Iorque qual quê? Nestes dias arriscaria dizer que Coimbra, arrumava com Toquio para canto.

O pessoal da casa onde fiquei foi 5 estrelas, têm mesmo gosto em receber o pessoal e, rapidamente me deixaram à vontade para falar das minhas histórias e maluqueiras, no meio das que eles relatavam! Não havia cá o meu copo ou o teu copo, o espírito era mesmo: "Essa caneca é nossa!" E foi. Tanto que lhe perdi a conta das canecas de sangria que deitamos a baixo na primeira noite. Corremos Coimbra à procura de um restaurante mas estavam todos com jantares de curso. Eram as capas pretas a esvoassar e os sorrisos multiplicavam-se a cada esquina. Vai se lá saber porquê. Ecoavam os despiques, uma garrafa caia no chão, os abraços surgiam, os bares recebiam estes meus olhos sedentos de alegria e brilho!

Ouvi Xutos já no recinto e... Coimbra "Quero-te tanto" =')

Fui conhecer vários sitios emblemáticos da cidade e como boa fã de fotografias, enchi a barriguinha de misérias! Ainda tive tempo de dar uma escapadela à Figueira, onde fomos buscar Safari (que não havia em Coimbra, pois as bebidas levaram uma razia!) para o pessoal levar para o Cortejo!

Conheci um rapaz estupendo, o D. e tivemos logo imensa afinidade. Tal como eu, ele gosta imenso de musica brasileira e temos, por incrivel que pareça, histórias de relacionamentos amorosos bastante parecidas. Parece que vivemos a mesma situação de "pseudo-casamento" e estamos saudosos com a saída da cidade que nos acolheu como caloiros pela primeira vez. A dele, Coimbra como é óbvio, mas agora ele estuda em Espanha. Teve o mesmo receio que eu, mas há um ano. Que as amizades fossem esquecidas mas vendo hoje, passado um ano desde que se foi embora, a união e cumplicidade não se perdeu entre ele e os amigos... Faz-me acreditar e dá-me força para que no que depender de mim isso nunca me aconteça também. Eu também mereço ter marés de sorte não? Assim será certamente. Colámo-nos um no outro porque os nossos feitios e experiencias assim o permitiram. Quero revê-lo, fez-me muito bem a companhia dele.

Outra pessoa que adorei conhecer foi a A. M., estuda em Coimbra e é a fundadora do gang dos óculos e do chapéu. Pois eu andava com um chapéu preto e elas (mais a M. da Covilhã) com uns óculos. O nosso gang espalhou imensa magia! Foi realmente lindo, a união que senti com aquelas duas pessoas. Além de me identificar na borga, também me revi nas conversas mais sérias. De tal modo, que a A.M. veio até à Queima do Puorto ontem e claro estivemos juntas! E já me convidou para voltar a Coimbra nos anos dela que estão ai à porta. A ver vamos. Se puder não tenham duvidas que irei. Ela foi fantástica comigo.

A M. da Covilhã é da mesma altura que eu e tem um sorriso lindíssimo assim como uns olhos verdes de cair para o lado. Somos pequeninas como as sardinhas mas "Bouasss" como ela diria. é a alegria em pessoa e sempre com uma palavra meiga e amiga para mim. Foi bom ser tão acarinhada. Já me anda a convencer para ir à Covilhã. Que bom. Andamos sempre juntas a conhecer o recinto e quando passava um gajo mais engatatão soltavamos um: "Já arrotavas" e não é que a moda pegou? Uma doida a M.! O curso dela é de 3 anos e termina este ano. Até Julho tenho marcadíssima uma ida à Covilhã! A falar em expressões que pegaram esta foi outra: "Porquê Parou? Ninguem mandou parar!!!" ouviasse cada vez que aguem estava mais murchinho ou sem copo na mão! Lindo!

A minha V. também andou sempre comigo de roda no ar! Se não fosse ela, eu não teria conhecido pessoal tão porreirinho. Bem hajas minha querida. Ainda bem que me convenceste a sair do choco e ir. Boa amiga, sem dúvida. As nossas risadas dentro dos sacos cama ou o :"Dorme bem minha 'S, Adoro-te..." são coisas que quando ditas com sentimentos se tornam raras. Obrigada por tudo.

E conheci também a C. que me abrigou e o resto do pessoal de Eng. Biomédica, sem esquecer o V. que apesar de passarmos pouco tempos juntos me pareceu muito porreiro. Também engraçei bastante com o elemento erasmus. LOL O que me ri a falar açoreano. Gostei dele.

Ridiculo seria dizer que a estadia em Coimbra se resumiu a isto, esta é de facto uma síntese minúscula mas o que importa são as pessoas que "trouxe" comigo e os momentos fantásticos que esses ninguem nos tira.

Acho que andas a puxar os cordelinhos aí em cima. Será? Quero pensar que sim! Já merecia. =)

3 Responses
  1. Daisy Says:

    mas k inveja me deu agora...ja tenho toda uma saudade desses velhos tempos...dexas loucuras...dos sorrisos...das afinidades.... do ver o nascer do sol...enfim....
    kt as amizades as vrdd kontinuam estejas tu no porto ou na china...pk n é a distancia k apaga uma amizade =)
    bjs* e sê feliz =)


  2. ME Says:

    Tomei a liberdade de me tornar seguidora e de comentar este post. Apenas para te dizer, ainda bem que Coimbra te fez ficar mais animada. Só não se anima aqui na cidade, quem não sabe aproveitar
    Bjinho


  3. 'S Says:

    Daisy: é sempre bom ter uma certa nostalgia pois é ela que nos faz recordar os melhores momentos =) Sim, acredito que as verdadeiras amizades não desaparecerão assim! Desejo que não aconteça o contrário... Bigada pela força =')*

    ME: Sê Benvinda! =) Concordo ctg, Coimbra faz-se com o espírito! Espero, sinceramente, que nunca mude e seja como o vinho aki do meu Puorto, cada vez melhor! Volta sempre ;D *